Símbolo Aprag Aprag Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas

consumidor Sobre as Pragas Urbanas

O que são ?

Entende-se por Pragas Urbanas os insetos e pequenos animais que se proliferam desordenadamente no ambiente das cidades e que oferecem risco à saúde humana.

Estes se encaixam na lista de animais sinantrópicos, expressão utilizada para designar animais que habitam locais próximos ao homem e se adaptam a viver junto deste.

As pragas urbanas têm por características biológicas o alto índice de resistência e a adaptação sobre os mais diversos meios. Por isso, o ambiente urbano torna-se o principal habitat para essas espécies, pois oferece condições como umidade, alimentação e muitos ambientes baldios.

Com isso, o seu extermínio é bastante dificultado. A maioria dessas espécies costuma se reproduzir durante o inverno e se prolifera durante o verão.

Encontre uma Empresa Controladora de Pragas (Dedetizadora)

Faça a busca abaixo e encontre
empresas de controle de pragas
(dedetização) da sua região.

Dicas para contratar uma Dedetizadora

O biólogo da APRAG, Sérgio
Bocalini
, está à disposição
para respondê-las.

Envie sua Pergunta

Principais Espécies

Pombo

Informações sobre a espécie

Pombos são aves de pequeno e médio porte; com pescoço, bico e patas curtas, e dotadas de de dispositivo para se orientar pelo campo magnético da terra, alcançando grandes distancias, chegando a voar até 315Km de distância com velocidade de 80km/h sem se cansar.

Considerados aves símbolos da paz, a luz da ciência tem nos mostrado que estão mais para ratos voadores, tamanha a quantidade de parasitas e doenças que podem transmitir. Atualmente temos mais de 800 espécies de Columbina, nome menos comum destes pássaros, convivendo com as populações dos centros urbanos. Suas fezes e dejetos ao acumular em estruturas, causam danos em monumentos e patrimônios históricos, pinturas de veículos, entupimento de calhas; apodrecimento de forros de madeira, contaminação de grãos e alimentos, etc.. Sua presença em aeroportos são um grande problema, atraindo ainda aves predadores, ambos causando diversos acidentes aéreos.

Como citado anteriormente, os pombos, são portadores de parasitas como piolhos de pombos, ácaros, percevejos e carrapatos; e doenças causadas por bactérias e fungos como a Salmonelose, Psitacose, Histoplasmose e Criptococose, fatais ao homem quando não diagnosticadas e devidamente tratadas.

Dentre as espécies, a mais comum nos centros urbanos é a Columba Lívia, a pomba domestica, espécie introduzida no inicio da colonização do pais. Alem de simbolizar a paz, foram amplamente utilizados como pombo correio, durante as guerras no passado, pela capacidade de voo e retorno ao local de origem.


Alem do pombo domestico, algumas espécies silvestres tem importância econômica e de saúde medica:
Columbina talpacoti (Pomba-rola);
Zenaida auriculata (Avoante);
Patagioenas picazuro (Asa-Branca).

As pombas silvestres são em geral monogâmicas; depois de formado o casal, não se separam, constroem o ninho com galhos de árvore, com o período reprodutivo de maio a janeiro. Colocam até 6 ovos em um ano, e vivendo m em média 8 anos.

Por serem aves da fauna silvestre, são protegidos pelas leis ambientais, portanto não podem ser mortos. Para locais com problemas com estas espécies, para evitar o contato com estas espécies, devemos utilizar técnicas de manejo. O manejo e controle destas aves é realizado a partir da detecção dos locais onde estão localizados ninhos e locais de pouso. Nos locais de ninhos abandonados, devemos realizar os procedimentos de limpeza e desinfecção, eliminando eventuais ectoparasitas e riscos de doenças. Realizados estes procedimentos devem ser instalados dispositivos físicos e mecânicos para evitar o retorno das aves neste local. Dentre os dispositivos físicos, as mais comuns são as telas, molas espirais e o fio tensionado; pela facilidade de manuseio e eficiência. A tela visa impedir o acesso das aves a outros locais, enquanto o fio tensionado e as molas espirais evitam que as aves pousem e permaneçam no local.


Por estes animais serem protegidos e seu manejo ser algo que exige conhecimento de sua biologia e hábitos, a qualquer sinal de infestação por esta praga chame uma empresa especializada no Manejo Integrado.


Medidas para prevenir o aparecimento de Pombos:


» Elimine oferta de Alimentos;
» Elimine oferta de Água;
» Elimine Abrigos;
» Dispor o lixo para coleta pública somente nos horários e dias certos de recolhimento;
» Não deixar comedouros com restos de alimentos do cão expostos por muito tempo e mantenha-o sempre limpo;
» Remover e não permitir que sejam feitos amontoados de restos de materiais de construção, lixo, galhos, troncos ou pedras;
» Vistoriar carga e descarga de mercadorias para evitar perdas e sujidade que possam atrair pássaros;
» Vedar adequadamente, com argamassa, ou telas adequadas buracos e vãos entre telhas;
» Colocar telas removíveis em aberturas de aeração;


Medidas para controle de pássaros:

Pombos são pássaros protegidos por lei: LEI Nº 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998 por este motivo recomendamos que nenhuma medida seja tomada sem a devida autorização. Caso estes animais estejam causado incomodo entre em contato com uma empresa especializada.