Símbolo Aprag Aprag Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas

Notícias

Febre amarela: Estados Unidos recomendam reforço da vacina para quem viajar ao Brasil

O surto de febre amarela que vem assustando a população brasileira desde dezembro de 2016 causou uma pequena confusão nesta semana, mas não aqui em território nacional, e sim nos Estados Unidos.


 


 



 


 

Em um comunicado postado na página do CDC norte-americano (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), há a recomendação expressa para que "os viajantes que forem às áreas de surto no Brasil considerem tomar uma dose extra da vacina", desde que a última tenha sido aplicada há 10 anos ou mais.


 

Outro órgão norte-americano que embarcou na determinação do CDC e está orientando os turistas que planejam ir ao Brasil a tomar uma dose extra da vacina é o IAMAT, a associação internacional para assistência médica dos viajantes.


 

O órgão, que diz em seu site oficial "ter como missão ajudar a minimizar os riscos relacionados a problemas de saúde para os viajantes", alerta que, apesar de não ser obrigatória a dose extra, "é recomendável aos viajantes que planejem ficar muito tempo nas áreas de risco tomar tal precaução".


 

A determinação vai contra o que estabelecem tanto o Ministério da Saúde do Brasil quanto a OMS (Organização Mundial da Saúde).


Nas páginas oficiais da OMS e do ministério, não há qualquer sinalização de mudança na orientação que tenha motivado o recente alerta extra do governo dos Estados Unidos em relação ao Brasil.


O Ministério da Saúde, por exemplo, cita textualmente que "desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS)".


Já a página da OMS reitera, em artigo publicado no dia 16 de janeiro de 2018, que "uma dose única da vacina de febre amarela aprovada pela OMS é suficiente para garantir imunidade e proteção por toda a vida contra a doença da febre amarela".


Dose fracionada


As únicas pessoas que necessitam tomar novamente — após 8 anos — a vacina de proteção contra a doença da febre amarela são aquelas que foram imunizadas com a dose fracionada, medida adotada pelo governo brasileiro após o recente surto.


Sem a dose completa da vacina, o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), exigido para viajar para alguns países como a China, Austrália e África do Sul, não será emitido.


Quem nunca tomou


Se você ainda não tomou a vacina e vai visitar alguma área de risco ou algum país que exige o certificado, o Ministério da Saúde reforça que a vacina deve ser aplicada dez dias antes da viagem — "tempo necessário para o organismo produzir os anticorpos contra a doença".


Aqui está a lista da OMS dos países que exigem a imunização e aqui a dos municípios brasileiros com recomendação de vacinação.


E nunca é demais lembrar à população brasileira. Os macacos NÃO TÊM culpa do surto da doença no Brasil.


 


FONTE: https://bit.ly/2EGeBJb

VEJA A APRAG NA MÍDIA

Especialista dá dicas do que fazer para espantar os insetos no verão

Dicas sobre controle de pombos

Mitos e verdades sobre dicas caseiras para previnir form...

Revista da Cidade 23/01/18 - Sérgio Bocalini

Jornal da Record - 10.01 - Sérgio Bocalini

VEJA MAIS MATÉRIAS

Notícias APRAG

VEJA MAIS NOTÍCIAS