Símbolo Aprag Aprag Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas

Notícias

‘Armadilha’ para Aedes aegypti indica aumento do vetor em Paranaíba

O Centro Municipal de Controle de Vetores de Paranaíba (MS) instalou em vários pontos do município mais de 20 armadilhas Larvitramp, para aferir o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti. As armadilhas foram colocadas em pontos estratégicos do município e podem ser usados como criadouro do aedes. As armadilhas são fiscalizadas semanalmente pelos agentes.

Nas duas primeiras semanas os pneus não foram positivados, mas a partir da terceira semana começaram a indicar um alto índice de infestação do vetor na cidade.

Segundo a coordenadora do Controle de Vetores, Ymara Lucia Palchetti, os locais onde teve larvas do mosquito coletadas pelas Larvitramp foram mapeados. “Nós já retiramos dos lugares que foram positivados, até para evitar que se torne um atrativo e vamos levar as armadilhas para outros pontos da cidade, visando descobrir os pontos de maior infestação para depois fechar esse mapeamento e fazer um alerta”, explicou.

Entre os bairros que tiveram grande número de larvas coletadas estão: Centro, Jardim Santa Mônica, Jardim Karina, Santo Antônio, Jardim das Paineiras e Jardim América.

Ymara explica ainda que o aedes aegypti está por toda cidade e que não há um bairro específico que ele reproduza mais.

As armadilhas foram retiradas dos locais na segunda-feira (20) e serão levadas para outros pontos do município para aferir o grau de infestação em cada ponto da cidade.

REDUÇÃO - De acordo com boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, Paranaíba registrou até outubro 41 casos suspeitos de dengue. O número representa uma redução de 91% em relação ao mesmo período do ano passado, que teve registro de 801 casos da doença.

A redução significativa, segundo Ymara Lucia Zanin Palcheti, coordenadora do Controle de Vetores, tem relação com o ano atípico vivido em 2016. Ela explicou que, normalmente, o número de casos começa a aumentar após o Carnaval, mas no ano passado as doenças transmitidas pelo mosquito ocorreram nos dois primeiros meses, contribuindo para o resultado.

Neste ano, a cidade participou da Semana Nacional de Combate ao Aedes Aegypti, em setembro, e atualmente, equipes dos departamentos de Controle de Vetores e da Saúde da Família realizam palestras e atividades sobre o tema em postinhos de saúde, escolas e creches.

 

FONTE: JP NEWS

VEJA A APRAG NA MÍDIA

Tipos de Inseticidas e Como Usar - Sergio Bocalini | Mulheres

É de Casa ensina como combater os cupins que podem infes...

Festa 25 anos - APRAG

Entrevista Rádio 99 FM Taubaté 20.10.2017

Aedes Aegypti carros abandonados são um dos principais f...

VEJA MAIS MATÉRIAS

Notícias APRAG

VEJA MAIS NOTÍCIAS